Trilha sonora da leitura

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O rosto que precede o sonho - Mauricio Gomyde





Os sinais nem sempre podem ser interpretados corretamente e por isso Tomas Ventura se culpa.
Em 2006 houve um grande acidente envolvendo um boing onde seus pais morreram dia que ele recebeu por assim dizer vários sinais.
http://3.bp.blogspot.com/-LY6DX3oCqjU/UBYG66ltcWI/AAAAAAAAAo0/y6j-jIDRu84/s1600/o-rosto-que-precede-o-sonho-de-mauricio-gomyde-capa-1.jpgAos trinta e dois anos, Tomas, mora em seu barco e leva uma vida tranquila, onde passa a maior parte do tempo ou tocando seu violão ou no sebo de seu amigo Benjamin ouvindo rock and roll.
Compositor por amor, ele compôs a trilha de um grande filme de sucesso, Fora de ordem, e não aceitou mais nenhum trabalho.
Ao levar o fora de sua namorada Helena e descobrir que ela o traía, ele vai ao sebo de BJ e acaba por encontrar uma garota, a qual denomina de menina dos olhos cor de mel, ele sabe que sua vida toda está prestes a mudar...

 "-Não existe a palavra " tarde" quando algo tem que acontecer. Se for pra acontecer, pode acreditar que vai." - Página 27

Depois de uma briga por um disco do qual eles não sabiam nem o nome o clima de romance começa a querer surgir, porém, ela nem diz seu nome a ele; apenas diz que talvez voltará ao sebo naquele mesmo dia da semana e naquele mesmo horário.
Ansioso ele mal consegue dormir nos dias seguintes e quando o dia finalmente chega... há uma quebra de expectativa e ela não aparece.
Ainda com ela na cabeça ele não desiste, mas vai à uma festa em um iate, onde por um acaso ela também está.

"E  ele nunca tinha se sentido tão bem ao lado de alguém." - Página 87

Ai sim há  concretização de uma expectativa e ele finalmente descobre seu nome, Aurora, e sua profissão, fotografa.
O clima de romance desponta no ar e por este mesmo clima ele aceita um novo trabalho; o próximo grande sucesso de Hollywood, onde ele disputará com mais dois candidatos a chance de criar a música tema.
Como toda a comédia romântica, nada é tão perfeito; ela deve partir em breve e ele tem problemas além da compreensão geral.
 Será que esse amor dará certo? Será que ele ganhará o concurso?
São perguntas que apenas o livro ' O rosto que precede o sonho" pode lhe contar.

"E, mais uma vez como tantas nas últimas semanas, foi o rosto dela que precedeu seu sonho." - Página 93.

Eu me apaixonei totalmente pelo livro e o devorei em meio dia; com capítulos curtos e poucas páginas a história flui e o fim parece ao mesmo tempo próximo e distante.
O final não me surpreendeu, mas, se encaixou perfeitamente na história e foi o único motivo dele perder uma estrela.
O amor de Aurora e Tomas é lindo, imperfeito e divertido em 90% do livro. Os personagens crescem durante o livro e cada vez mais você se vê torcendo por eles.
A parte que me chamou mais atenção no livro e em minha opinião foi a mais genial, seria o enlaçamento que há para criarem-se os sinais, usando-se de uma lógica e de uma minucia que beiram a perfeição.
O livro é super indicado a pessoas que gostam de romances como Nicholas Sparks [antes de "Um homem de sorte"].
Beijos!

domingo, 28 de outubro de 2012

A culpa é das estrelas - John Green


 "[...] Só tem uma coisa pior nesse mundo que bater as botas aos dezesseis anos por causa de um câncer; ter um filho que bate as botas por causa de um câncer."- Página 14

Hazel Grace Lancaster é uma garota de 16 anos que tem sua vida interrompida anos antes por um câncer em estágio terminal. Ela não é uma garota comum a qualquer série e nem mórbida como seria de se esperar.Uma de suas maiores preocupações,se não a maior, é de como seus pais ficaram depois de sua morte.
O livro se inicia em um grupo de apoio a pessoas como ela, mediado por Patrick e literalmente no coração de Deus.Dentro desse grupo de apoio ela conhece Agustus Waters, que já teve câncer e chegou a perder metade de uma perna.
Gus, logo de cara chama Hazel para ver um filme em que ele acredita que a Natalie Portman está igual a ela. E por mais diferente que isso fosse das atitudes normais de Hazel, ela aceita.
"[...] Eu nunca fui outra coisa a não ser uma paciente terminal; todo o meu tratamento tinha como objetivo estender a minha vida, e não curar o câncer. [...]  meu capítulo final foi escrito no momento do diagnóstico. O Gus, como a maioria dos sobreviventes do câncer, vivia na incerteza." - Página 152
Com medo de ser um perigo para Gus ela demora a aceitar o que começa a acontecer entre eles.
Ao mesmo tempo que há esse foco da narrativa no casal Hazel e Gus, há o amigo em comum deles [ e motivo de Gus ir na reunião];Isaac que sabe que irá ter que ficar cego, e namora Mônica a quem sempre diz " Sempre" que representaria ficarem juntos para sempre, porém quando a cirugia que o deixará cego se aproxima ela diz não aguentar e termina com ele. A reação dele quanto a isso e a de Hazel creio que é um dos momentos mais tocantes do livro.
O livro traz a narrativa em primeira pessoa, com a própria Hazel narrando sua história, motivo que eu só fui entender ao final do livro...Com uma escrita leve, apesar de retartar assuntos muito graves o livro demonstra parte em que rimos e outras que choramos.
O câncer está presente a todo instante, Hazel não nega que ela é doente e tenta viver uma vida normal, afinal ela tem até um nome para o concentrador de oxigênio que ela é obrigada a usar a noite [Felipe]; porém também não quer morrer, não quer se entregar, ela quer lutar, quer rir e chorar.
John Green coloca no papel a sensação de como é ter a vida por um triz, de como é quase morrer. Além do fato de conduzir com perfeição e naturalidade o romance vivido por Hanzel e Gus. 
Fiquei completamente viciada ao ler o livro e por motivos pessoais, ele me tocou profundamente e fez com que a Hazel e o Gus se tornassem pessoas, e não personagens, pelos quais eu torcia para ficarem bem.
Ele de forma geral é um livro que me fez refletir, repensar coisas e atitudes.
Recomendo o livro para pessoas que querem realmente rir e chorar, pois não é um livro com o qual se possa ficar indiferente.
Beijos.(:


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Niver do blog #03


 Tumblr_m7hz5jpo8h1qa1z5eo1_400_large

Olá,
Considero o blog como um filho, logo, no começo comemoramos cada dia de vida, depois as semanas, os messes e por fim os anos.
Ele ainda não passa de um bebê, mas eu faço questão de comemorar todo mês no dia 25 com algo especial esse aniversário.
Chegamos nos três messes e estou muito feliz com isso, obrigada escritores que acreditaram no blog, outros blogs , leitores e pessoas que apenas vêem o blog, cada um de vocês é especial para mim!
A cada mês tenho mais surpresas com ele [ quase todas positivas].
Enfim, esse mês devido a motivos pessoais a comemoração será simples: resenhas de livros que viraram filme.
A lista das resenhas já postadas segue aqui:
Para Sempre - Aqui
Morte e Vida de Charlie St. Cloud - Aqui

Beijos e obrigada!

Morte e vida de Charlie St. Cloud - Ben Sherwood

Charlie St. Cloud é o típico garoto popular e feliz do Ensino Médio americano, tem uma mãe adorável, boas notas, uma namorada legal e um irmão mais novo, Sam, que é um amor.
Tudo parece incrivelmente bem, até que Charlie resolve levar Sam ao jogo dos Red Sox, pegando " emprestado" e sem permissão o carro de um vizinha.
O jogo foi ótimo e divertido e enquanto voltavam para casa uma Lua linda surge nos céus, e esse nesse momento que Charlie se distraí e bate o carro.
A sensação de estar morto é a que domina o momento, tanto ele, quanto Sam se encontram em um lugar " em branco" onde conseguem até conversar e da onde o bombeiro Florio Ferrente, tenta salva-los.
Charlie retorna depois de certo tempo, mas infelizmente Sam não. E agora Charlie passa a viver com um peso constante de ter assassinado o próprio irmão, coisa que não ocorreu de fato.
Os anos passam e Charlie trabalha no cemitério local, onde todos os dias quando o Sol se ponhem ele encontra Sam e eles jogam beisebol.
Ele poderia viver assim para sempre, com a vida contida apenas naquele espaço, até conhecer Tess Carroll, uma marinheira que tem como objetivo vencer a corrida da volta ao mundo em um barco e sozinha.
Essa história de amor com total certeza não será totalmente simples.

" Charlie era diferente. Ele era como um animal raro e exótico - de uma raça mais mansa e sofisticada do que as criaturas com as quais ela cresceu. [...] Ele parecia absorver cada palavra que ela dizia e, esta  noite, sentindo-se tão confortável como ela estava,havia muitas para dizer." - Página 122

O livro é narrado em terceira pessoa e retrata assuntos que eu considerei importantes, como adolescente que dirigem , a amizade entre irmãos e como lidar com a morte. Quando eu peguei o livro achei que ele seria um romance tranquilo e sem grandes surpresas; eu estava errada quanto ao romance mas certa quanto a parte sem surpresas.
Ao final do  livro há uma parte onde o autor conta como houve a  adaptação para o cinema e ajuda recebida para formular cenários tão reais [ uma das maiores caracteristicas do livro], afinal até certo ponto, pode-se pensar que o livro não é ficção.

É um livro que indico para pessoas que querem aprender a lidar com as perdas e frustrações da vida sem ficarem deprimidas. Foi um livro de qual em particular não me prendi muito, apesar do assunto ser do meu total interesse e bem narrado.

Beijos!





Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

Uma ligação pode mudar uma vida.
Em um dia comum Kim, treinador de um time de beisebol, liga para Jammin Sportwear querendo informações sobre jaquetas e acaba por se deparar com uma voz animada e linda, que se apresenta como Krickitt.
Como é de se imaginar ele acaba ligando cada vez mais para lá e as conversas se tornam cada vez menos profissionais. Até que os números de telefones residenciais são trocados e até um encontro é marcado. O grande problema é que enquanto Kim está em Las Vegas no México, Krickitt estava na Califórnia. Porém tudo isso é superado.
A base de cartas e telefonemas eles se apaixonam e depois de um tempo curto, se casam.
Tudo estava absolutamente perfeito até ai, só que durante uma viagem um acidente ocorre e Krickitt é a mais afetada.

 "Uma fagulha de esperança se acendeu dentro de mim. Krickitt ainda estava ali. Em algum lugar, debaixo de todos aqueles frios e tubos, minha esposa ainda vivia. [...]" - Página 55.

Depois de muito tempo de sofrimento Kricitt acorda e com isso ocorre outro problema:

“Krickitt, por favor, pense com calma. Quem é seu marido?
- Eu lhe disse. Não sou casada." - Página 75

Ela não se lembra de nada que viveu com Kim, não se lembra das risadas, das lágrimas, do acidente, do casamento, não se lembra de conhecê-lo. Kim desafiando todas as expectativas não se separa de Krickitt e passa a aguentar todos os problemas que vem com ela.
Até que ponto ele vai aguentar? 

Um livro de fé, amor e sobre como superar as grandes dificuldades da vida. Ele é narrado por Kim, o que achei algo bem diferente, em vista de que normalmente os livros ou são narrados em terceira pessoa ou por uma mulher. 
A narração do livro é deliciosa e ele não é longo nem curto, é na medida certa.
Cada novo acontecimento são dados data, locais e anos, conferindo uma realidade incrível ao livro.
É um livro que eu indico e que também tem o filme.

Beijos!



sábado, 20 de outubro de 2012

Deusa da Primavera - P.C.Cast



 Carolina Francesa Santoro, mais conhecida como Lina, é uma mulher madura que lutou muito por ter seu próprio négocio, no caso uma padaria que por mero acaso se chama " Pani Del Dea" [ Padaria da Deusa]
Em um período de aflição financeira ela passa em um sebo  em busca de novas receitas e  acaba por comprar um pilha, onde depois de olhar e encontrar as receitas italianas mais bizarras ela finalmente acha o livro " O livro de Receitas da Deusa Italiana".
Assim como no primeiro livro com C.C. , Lina não tem ideia do que realmente irá invocar e apesar de ser mais séria que C.C. em seu ritual, ainda sim acredita que apenas conseguirá produzir uma receita deliciosa, o que realmente acontece.
Em contra partida no mundo dos Deuses, a Deusa Deméter encontra-se em  problemas com sua filha Perséfone, que apenas quer se divertir e ter casos amorosos com os deuses, pois recebe muitas preces pedindo para que haja uma Deusa no submundo, para proporcionar descanso e cuidado aos entes queridos que partiram desse mundo. E então em um encaixe perfeito de tempo a Deusa ouve a prece de Lina e sente uma esperança imediata.
Assim como no livro um, de novo, a Deusa proponhem a Lina trocar de lugar com sua filha por um tempo determinado de seis messes, sendo esse o tempo que segundo Deméter Perséfone demoraria para fazer com que a " Pani Del Dea" se tornasse um sucesso.
O que Lina não sabia ao aceitar esse acordo é que ela terá que ir ao inferno, ou melhor, submundo.
E ai entramos no grande enfoque da trama... O que você faria se o Deus do Submundo que foi sempre temido, sempre visto como um verdadeiro demônio na verdade fosse um verdadeiro deus grego com perdão do trocadilho?

"- O fato de eu ser tão ligado aos mortos não lhe causa repulsa?
- Claro que não - ela afirmou sem preâmbulos." - Página 147

Lina é totalmente bem recebida no submundo, um lugar que sempre temeu e agora lhe abre as portas, os moradores de lá a saudam e ela finalmente se sente como uma Deusa.
Hades odiava os Deuses com toda aquela pompa e superficialidade, até conhecer "Peséfone", uma Deusa jovem e encantadora, ao mesmo tempo que madura em seus pensamentos e nada superficial em suas ações.

"Seus lábios benfeitos sorriram com ironia. O deus dos Mortos desejava a deusa da Primavera. Mesmo dentro de sua cabeça isso parecia impossível." - Página 185

Um amor impossível , um local temido/esquecido tanto no reino dos Deuses quanto no reino dos mortais. Será que a primavera poderá chegar até lá?

Deusa da Primavera é o segundo livro da série Goddess que conta hoje com três livros, além dele, lançados no Brasil [ Deusa do Mar, Deusa da Rosa e Deusa do Amor], sendo que o único real ponto de ligação entre eles é o fato de cada livro contar a história de uma Deusa, tendo em vista o ponto conteúdo, não há qualquer relação.
 A trama é narrada em terceira pessoa com o jeito delicioso de narração da P.C.Cast. O livro esbarra em algumas sequências de fatos que o primeiro [ Deusa do Mar], o que contríbuio para tornar o livro um pouco previsivel, mas apenas no começo.
O romance de Hades e Lina me envolveu profundamente e a força encontrada na moçinha beira a perfeição. É um dos livros que eu super indico para quem gosta de Deuses e de um belo romance apimentado.
Beijos!



terça-feira, 16 de outubro de 2012

Das páginas para mente

Feche os olhos e imagine. Essa é a nova proposta da Tarja! 
Como algumas pessoas sabem, eles lançaram uma série de áudios de leituras dramáticas, ou seja, além de você ouvir a leitura ainda poderá ouvir e por isso basta fechar os olhos e imaginar.
Os primeiros que saíram foram os :

E agora uma novidade quentinha para vocês! Está disponível também o segundo capítulo de " A Situação"  do americano Jeff Vandermeer :


Perfeito, né? Assim que souber de mais novidades corro pra contar para vocês!

Beijos!


sábado, 13 de outubro de 2012

A fada e o bruxo - F.Medina

"Ela se referia aos antigos Diários do rei avô Kimius, as profecias da  Rainha Fada.[...]"- Página 68
As fadas em Ivi tem uma importância enorme, quando separadas entre as que ocupavam a " Casa das fadas" e as que continuaram na " Floresta Encantada" receberam os nomes de fadas e bruxas, respectivamente.
Agora uma profecia declara que uma rainha subirá ao trono que unirá  fadas e bruxas; no caso Ava.
Ava sempre foi uma criança especial, ela conseguia fazer magias que muitas fadas não conseguiam com pouca idade. E logo descobriram que ela é uma Vladimin, o tipo de fada mais poderosa, o mesmo tipo que Tereza.
Tereza, a bruxa/fada, mais poderosa de toda Ivi, e mãe do lindo jovem Aiden.Nascido na " Floresta Encantada", Aiden, ainda passará por muitas dificuldades. Como:
'[...] Você está apaixonado pela futura rainha de ErasBlack? Ou seja, encrenca! Por que você deixou seu coração te levar em direção a uma pessoa impossível?" - pag 117
E então desafiando todas as regras de ambos os reinos Ava e Aiden passam a se encontrar, se apaixonam!
" Foram muitos os encontros. [...] Ele era diferente, divertido e ainda era lindo! Era inevitável! Estava apaixonada! - Página 120
E de tantos obstáculos em seus caminhos, o maior será Emma, uma Cidroen, que é  bruxa da guarda de Aiden por assim dizer e se apaixonada perdidamente por ele.
Ao mesmo tempo que  as crônicas de Ivi [ lendas] se tornam cada vez mais reais.
Triangulo amoroso, intrigas, suspense, aventuras, são coisas principais nessa trama muito bem amarrada e repleta de lógica e imaginação.
F. Medina, constrói um mundo no qual é impossível querer sair. A cada capítulo você aguarda ansioso pelo próximo. Nada nunca é aquilo que parece e o final é de tirar o folego.
Super recomendado!
Beijos!




segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Anjo poeta - Eddy Khaos



O anjo poeta é um livro de contos curtinho e delicioso. O livro tem um introdução extremamente técnica que eu achei ótima para basear os contos que vem a seguir.
Os anjos sempre foram símbolos eternos de glória, perfeição, bons modos, bons costumes, crença na Igreja Católica e de credibilidade a vida eterna no Céu.
O primeiro conto já começa com um anjo completamente acabado, com dor , idade, e muito muito diferente de tudo aquilo que se acreditava que um anjo seria.
Com o arcanjo Gabriel e um arcanjo " misterioso" que aparentemente não se lembra de nada. O conto cria vida quando o arcanjo se lembra de ser Rafael. Na minha opinião o fato de o arcanjo usar uma carcaça mortal e não se lembrar de quem realmente é, remonta os princípios espiritas da reencarnação. O que torna ainda mais divino a leitura.
O nosso segundo conto mostra SP em ruínas  o apocalipse angelical provocado por Arcanjos finalmente chegou. Liderado pelos arcanjos Rafael, Miguel , Gabriel e Uriel, a destruição do planeta está em pleno andamento e sem data limite. O país tenta reagir inutilmente, a força aérea não tem mais forças; até que um piloto consegue matar Gabriel.
David, o piloto, não era só um humano comum, mas sim um arcanjo e sua missão será nós salvar. Como você lhe daria ao descobrir que sua vida toda foi uma mentira?
Em o " Detetive das sombras" existe aquele amor todo fofo , entre Eddy e Laís. Porém, depois da saída de um membro do grupo que se enamorou por um vampiro, Laís abandona Eddy e esse se torna um detetive e caçará todas as noites e colocará sua vida em perigo.
Depois de anos há um reencontro, o que será deles? Quem estava errado? Haverá ódio ou paixão?
Em " O anjo poeta" Zafira é o grande amor do anjo Azariel, eles tem uma vida humana e feliz até que quando o filho de Zafira está prestes a nascer ela é sabotada pelos anjos da morte e encontra seu fim. Azariel entra em profunda depressão até que Lúcifer lhe oferece uma chance de vingança. Uma nova batalha se inicia, você estará nela?
O livro se finaliza com poesias sobre anjos , obviamente, e o que eu achei mais bacana foi o fato de que cada poema fala de uma classe de anjo.
Foi um livro que eu adorei e esperam que vocês possam adorar tanto quanto eu!
Beijos!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

André Vianco

Foto -André ViancoAntes de adotar Vianco como seu sobrenome artístico, - que homenageia a cidade de Osasco derivando da Rua Dona Primitiva Vianco - André começou a escrever profissionalmente para a rádio Jovem Pan na seção de humor. Tornou-se redator do departamento de jornalismo da rádio e por lá permaneceu por dois anos.
Em 1999 após ser despedido de seu emprego em uma empresa de cartões de crédito, André utilizou o seu FGTS para produzir 1000 cópias de seu primeiro best-seller, Os Sete. Em 2000 ele foi pessoalmente promover seu livro em livrarias e editoras. Em 2001 a editora Novo Século se interessou por seu trabalho e re-publicou o livro. Desde então a parceria entre autor e editora proporcionou mais livros e uma obra que está sendo gradualmente ampliada.
Os Sete deriva diretamente do primeiro romance de André Vianco, O Senhor Da Chuva (1998). Em O Senhor da Chuva, apesar da história estar relacionada diretamente a anjos e demônios, o autor criou uma personagem vampiro que, segundo o autor, teria sido pobremente explorado. A partir de então, André ficou com a ideia de escrever um romance em que vampiros seriam os protagonistas. Em seu primeiro roteiro, pré-escrita, os vampiros eram apenas dois e o título do livro seria "Os Dois". Porém André não se sentiu satisfeito e sua trama virou "Os Sete" (1999).

Hoje André Vianco é tido como um dos melhores escritores do gênero e respeitado em seu meio. Sem ser arrogante com seus fãs, André continua com sua vida simples e a escrita para ele não se tornou algo apenas para ganhos financeiros, afinal ele coloca em cada obra dele um pedaço de sua alma.
O pioneiro em vampiros que viviam em SP, inspira hoje muitos escritores e da asas a imaginações de todas as idades com suas tramas.
Eu poderia escrever um texto enorme apenas descrevendo as qualidades desse autor tão conhecido, mas prefiro ser breve e apenas dizer que pelo menos para mim, ele é um grande motivo de orgulho nacional.

F. Medina




Nasceu em outubro de 1971, em São Paulo. Vive em Ponta Grossa – PR. É casado pai de uma filha. Formado em Administração de Empresas, Comércio Exterior e Computação. Fez intercâmbios em países de língua espanhola e inglesa. Também se pós graduou no exterior em Negócios Internacionais. Trabalhou em grandes corporações multinacionais, deu vida a marcas e empresas ligadas a crianças e adolescentes. Atualmente é empresário do setor turístico. É escritor de As Crônicas de Ivi – A Fada e o Bruxo.Fonte

Sua obra " A fada e o Bruxo": 
Em um universo paralelo, uma história de amor. Com o coração oprimido, uma pessoa capaz de tudo em favor de sua paixão, observa o romance proibido entre uma fada e um bruxo. E você, até onde iria por amor? Conheça o Universo de Ivi e sua estranha relação com o planeta Terra.
Fonte

Book Trailer
Com em breve resenha aqui.

F.Medina foi um dos autores que tive o prazer de conhecer pessoalmente e conversar.Ele me convenceu depois e um certo tempo a comprar o livro e me garantiu que se o final não me surpreendesse ou se eu não gostasse do livro ele compraria o livro de volta. Pois bem, a partir dai temos o parâmetro de como esse autor confia em seu trabalho.

O livro é teen e me surpreendeu extremamente [ vou poupar opiniões para resenha].
Apenas gostaria de dizer o quanto vi nesse autor um futuro escritor de best-seller. Se engana quem pensa que basta ter paixão e vocação para ser escritor, é necessário técnica e prática também. É claro que não é apenas técnica, prática e não há uma fórmula, mas sem dúvida existem jeitos de melhorar aquilo que o coração escreve.
Por isso, o F.Medina foi meu escolhido para concluir o aniversário do blog, junto com o André Vianco.

Eddy Khaos



Eddy Khaos e o pseudônimo Literário de "Edson  Pereira de Lourdes" nascido em Santana de Parnaíba, São Paulo, em 1980. Graduado em Artes plasticas e Logística, E capista e quadrinista faz vários freelances para varias editoras em território nacional.

Eddy começou a escrever por diversão quando ainda jovem, desenvolvendo roteiros para campanhas de RPG: "Vampiro - A Máscara". Acabou pegando o gosto pela escrita e desde então, não parou mais de escrever. Tem seus textos espalhados pela internet em diversas páginas, seus poemas e contos, publicados em várias antologias. Recentemente criou uma editora que lança livros em formato E-book para ajudar novos escritores chamada  Editora Online Corujito.

Publicou nas Antologias:

Ventos Poéticos - Editora Literata
Bola de Pelo - Editora Andross
Dias Contados 2 - Editora Andross
Versos de Primavera - Editora Sapere
Poetas  de Sampa - Editora Sapere
Poetas  da Confrataria - Editora Sapere
Antologia Velozo 2012 - Editora Velozo
Cenas cotidianas - Editora Beco  dos Poetas
Almoço em  Familia - Editora APED
Dias Contados 3 - Editora Andross
Caminhos  do Medo 2 - Editora Andross
Dimensões BR  2 - Editora Andross
Histórias Envenenadas 2 - Editora Andross
Dias Contados 2 - Editora Andross

Participação em  E-Books: 


Prisioneiro da Eternidade - Sem  editora
Julieta & Romeu - Editora Online  Corujito
O mundo de Witching - Editora Online  Corujito

Antologia organizados pelo autor:

Contos  de  fadas - Editora  Online  Corujito
Versos Vampiricos - Editora Literata
Piratas - Os senhores das águas sombrias - Editora Literata


Livros Solo:

O Pensador - Editora Clube de Autores
A sete deusas gregas - Editora Clube de Autores
O Anjo Poeta - Editora Literata




Felipe Pena


Felipe Pena é Doutor em Literatura pela PUC-Rio, pós-doutor em semiologia pela Universidade de Paris / Sorbonne III e ignorante por conta própria. Também é jornalista, psicólogo e professor da Universidade Federal Fluminense, onde leciona oficina de textos e telejornalismo.
Roteirista da TV Globo e cronista do Jornal do Brasil, escreveu outros dois romances, O marido perfeito mora ao lado e O verso do cartão de embarque, ambos publicados pela editora Record.
Autor de sete livros acadêmicos, entre eles Teoria da Biografia sem fim (Ed. Mauad, 2004) e Teoria do Jornalismo (Ed. Contexto, 2005), além de Seu Adolpho (Ed. Usina de Letras, 2010), uma biografia em fractais de Adolpho Bloch, foi professor visitante da Universidade de Salamanca, na Espanha, e tem dezenas de artigos científicos publicados no Brasil e no exterior.
Mora no Jardim Oceânico, um pacato bairro do Rio de Janeiro, cidade onde nasceu, aparentemente, no século passado.


Obras:

Fábrica de Diplomas : Fábrica de Diplomas é uma envolvente história de suspense que utiliza como cenário a conturbada (e pouco explorada) realidade dos universitários brasileiros, divididos entre livros, amores impossíveis e festas regadas a drogas e álcool.
Uma estudante de farmácia é baleada no campus de uma faculdade durante o intervalo das aulas. O psicanalista Antonio Pastoriza é chamado pelo Reitor para investigar o crime e descobre a participação de um estranho personagem, que, apesar de ser analfabeto, acaba de passar no vestibular.
Atormentado pelas dúvidas sobre os métodos utilizados pela profissão que escolheu, Pastoriza reencontra uma ex-namorada, envolve-se em uma disputa pessoal com o chefe de polícia e se vê no meio da guerra entre milícias e traficantes pelo controle de uma nova droga sintética produzida no laboratório de farmácia da universidade. E ainda precisa descobrir a identidade do misterioso Doutor, um bandido cujo rosto nunca foi visto por ninguém.
No curso das investigações, o psicanalista percebe a decadência do ensino superior no país e a disputa comercial por alunos/clientes entre as instituições privadas, reforçada pela chegada de inescrupulosos investidores estrangeiros, interessados em participar do nosso milionário mercado da educação.
Com este livro, publicado originariamente sob o título de O analfabeto que passou no vestibular, Felipe Pena iniciou a sua trilogia do campus, composta, na sequência, pelos romances O marido perfeito mora ao lado eO verso do cartão de embarque, todos publicados pela Record.




O marido perfeito mora ao lado: Um livro pra ler de um fôlego sóUma história de amor, com ritmo de suspense, otimismo e didática. Para quem tem curiosidade sobre a mente humana, o novo livro do jornalista Felipe Pena, “O marido perfeito mora ao lado”, é um prato cheio. A começar pelos títulos dos capítulos que sugerem temas como libido, ansiedade e sublimação, e também pelo fato de o enredo ser ambientado em uma universidade particular, especificamente no curso de psicologia. Mas não são apenas os amantes de Freud que vão se deliciar com este romance. A linguagem simples, porém arrojada, característica do autor, leva o leitor a uma viagem para dentro de si mesmo.
O livro começa com um monólogo de uma mulher angustiada, cuja maior preocupação é tentar discutir a relação com o marido. Com um humor refinado e sagaz, o autor nos mostra como essa tarefa é difícil logo no primeiro parágrafo:
“Por que estamos aqui? Sei lá! Culpa dele, só dele. Responde aí, Carlinho! Ele não fala, ficou mudo. Fala, Carlinho! Conta a nossa história. São dez anos. Conta tudo, desde o começo. O primeiro encontro, o vinho, as flores, o beijo. Não, o beijo não. Disso ele não lembra mais. Depois de um tempo só ficam aqueles estalinhos de boa noite, como dois compadres siberianos. E as promessas, claro. Conta pra ela, Carlinho! Como não prometeu nada? Cadê o cara que abria a porta do carro, que elogiava o vestido, que recitava poesia no ouvido, que me olhava com fome e enfiava a língua na minha garganta? Você inteiro foi uma promessa. Ninguém avisou que tinha prazo de validade.”
A personagem Olga decide, então, fazer terapia de casal. Sem dinheiro suficiente para pagar um especialista, ela e o marido recorrem a uma clínica universitária, onde são atendidos por acadêmicos do curso de psicologia, membros da alta burguesia carioca, que têm tudo, menos experiência para ajudar o casal.
E, no meio das discussões, um dos estudantes desaparece. A partir daí, todos são suspeitos. O leitor assume o papel de detetive para desvendar este mistério e, a cada página virada, no afã de descobrir quem são os mocinhos e quem são os bandidos, fica impossível desgrudar da leitura ágil e da trama surpreendente.
Qual a mulher que, assim como Olga, não almeja que seu companheiro note o corte de cabelo, elogie a roupa nova ou nos leve para jantar sem motivo ou comemoração especial? Ou simplesmente abra a porta do carro? Gestos singelos, porém significativos, que fazem tanta falta no cotidiano dos casais.
A idéia do autor era tratar de um tema universal: a discussão do relacionamento. E ele fez isso com frases marcantes: “Homens e mulheres são seres previsíveis. Ocupados demais para o casamento, ocupados demais para os filhos. Ocupados demais para originalidade.” Ao contrário do que o título possa sugerir à primeira vista, “O marido perfeito mora ao lado” não é uma sugestão para olhar com malícia para o vizinho. O objetivo é analisar como o desejo investe no vazio, naquilo que não temos. E começar a refletir que o marido ou a esposa que está em casa pode ser perfeita, mesmo com todas as imperfeições.
O livro mistura o clima de suspense com a comédia romântica embalada pelos diálogos bem construídos, sem deixar de lado o romantismo que toda história de amor precisa ter. Felipe Pena usou estratégias narrativas baseadas nos folhetins. O jornalista estudou a fundo a obra do romancista francês Honoré de Balzac, que escrevia para jornais e precisava seduzir os leitores todos os dias. Além de ser um grande conhecedor de psique humana, já que também é psicólogo.

As trezentas páginas deste novo romance atestam todo o talento e criatividade do autor, e nos fazem enxergar as fantasias, os desejos e anseios que estão nas personagens, mas que, no fundo, poderiam estar (e me arrisco a afirmar que muitas estão) escondidas ou reprimidas no inconsciente de cada leitor.
Você começa a ler achando que sabe o que provavelmente vai acontecer no final, mas, a cada nova página, a dúvida se instala, a curiosidade aflora e o desejo de conhecer o desfecho não nos deixa outra saída: mergulhar nesta leitura elegante, democrática e (por que não dizer?) perfeita.

O verso do cartão de embarque: A quem delegar a difícil tarefa de receber uma trágica notícia “pessoal”? Quem (re)contará a história que não nos pertence? É o que se pergunta um escritor decadente quando preenche o verso do cartão de embarque e dedica uma crônica ao assunto, minutos antes de viajar para um lugar desconhecido. Duas leitoras, Nicole e Berenice, se identificam com a crônica e tentam descobrir o paradeiro do escritor. Felipe Pena construiu um romance em que risos e lágrimas se misturam. Uma história inesquecível.



Conheça mais sobre o autor

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Douglas MTC

Douglas MCT nasceu em Socorro, interior de SP, em 1983, e atualmente reside na capital. Cursou Criação e Produção Audiovisual, trabalhou por uma década como designer gráfico e no momento atua como redator e roteirista de games, quadrinhos, animações, filmes e seriados. Escreveu para as HQs da Turma da Mônica e as animações da Galera Animal. É autor da série fantástica Necrópolis e teve contos publicados nas coletâneas Anno Domini (2008), Território V (2009), Imaginários 3 (2010), Sagas 3, Crônicas da Tormenta (2011) e Fantasias Urbanas (2012). Pela Gutenberg, publicou em 2012 O Coletor de Almas, onde personagens emprestados das mitologias etrusca e nórdica vivem uma empolgante história sobre o fim do mundo.





Sinopse - Necrópolis 1 - Livro 1 - A Fronteira das Almas 

Necrópolis, série de Douglas MCT, apresenta ao leitor as aventuras fantásticas de Verne Vípero, um rapaz cético que confronta sua descrença ao descobrir a possibilidade de salvar e resgatar a alma do irmão. Neste primeiro volume, Verne e seus aliados – um monge renegado, um ladrão velocista, uma mercenária deslumbrante e um homem-pássaro suspeito – rumarão até Necrópolis e conhecerão um novo mundo e novas criaturas, em uma aventura emocionante e assustadora. Com personagens instigantes e uma história fantástica recheada de emoções e terror, o leitor se sentirá na companhia de Verne, adentrando e desbravando um mundo fantástico cheio de batalhas e de um perigo sobrenatural.

Livro no Skoob

Veja mais sobre o livro aqui
Resenha




Sinopse - Necrópolis 2 - Livro 2 - A Batalha das Feras 

A série Necrópolis, de Douglas MCT, ganha seu segundo volume. E, nesta continuação, o leitor encontrará ainda mais tensão e aventura que em A Fronteira das Almas. Agora, Verne Vipero se vê forçado a retornar a Necrópolis depois que descobre correr riscos na Terra. Assassinos enviados por Astaroth estão em sua caça. De volta ao Mundo dos Mortos, o rapaz conhecerá uma tribo de lycans que vai mudá-lo para sempre e descobrirá qual é a semelhança entre o medo e a coragem. Com uma iminente guerra chegando do oeste, Verne enfrentará não só gnolls e trolls, mas também a morte, de diferentes maneiras. Em A Batalha das Feras, muitas cabeças vão rolar. Inclusive a de quem se menos espera.

Livro no Skoob

Veja mais do livro aqui

Conheça o book trailer

Curta Necrópolis no Facebook

Veja o autor falando sobre o livro




A fronteira das almas - Douglas MCT

Um irmão que não aceita a perda do outro. Uma cidade mórbida e uma nova missão cheia de obstáculos. Até onde sua fé iria?

"- Sim. Quero e vou salvar a alma de Victor. Eu o terei de volta - suspirou profundamente. - De alguma forma..." - Página 81

Verne é um cético com uma vida comum e um "amigo imaginário" [ AI] chamado Chax. Até que a sua vida muda pela morte de seu irmão Victor. Ele se vê em uma encruzilhada quando há a possibilidade de resgatar a alma de seu irmão.
Com a ajuda da cartomante Carmecita Rosa dos Ventos e Elói, ele parte para uma missão em Necrópolis a terra dos mortos.

" Há um semana, enquanto descansava, recebeu a visita em sua toca de Gonderfullz, o ancião do bando; Ele trazia uma profecia. Uma que havia escrito há dias com seu rabo em forma de pincel, quando uma visão lhe alcançou. Kornattuz se apavorou, pois não esperava tão cedo ter de lidar com elas. Nunca havia ficado tenso dessa forma. Um terrestre chegaria em poucos dias ao seu mundo. E com ele, traria o caos." - Página 92

Uma profecia havia sido feita antes de sua chegada e agora ele terá que lhe lidar com as consequências dela. Não há saída a não ser infentar inimigos que ele mal sabe que existem.
Com a ajuda de Simas Tales, um ladrão que ele acaba por conhecer e meu personagem favorito, ele se envolve nas entranhas de Necrópolis sem direito a volta.
Até que " aparece" a mercenária Karolina Kirsanoff lhe oferecendo ajuda.
Poderá ele confiar em uma mercenária? Conseguirá ele passar por cima de tantos obstáculos e resgatar a alma do irmão?

" - Talvez. Necrópolis é mórbido, sim, mas um bom lugar para ter uma sobrevida, eu não reclamo; Não para terrestres,claro. A maioria de vocês que consegue chegar aqui, desiste e volta para a Terra. Muita gente acaba morrendo." - Página 110

Necrópolis é recheado de terror e suspense, o que não é meu gênero mas neste livro em particular eu gostei. Através de uma fina camada de medo ele nós leva a questionamentos como " O que aconteceria se eu ou alguém que eu amasse demais morresse amanhã?" " Para onde eu vou quando terminar minha jornada aqui?".
Nessa narrativa envolvente você com total certeza irá se apaixonar pelo cara errado, como eu pelo Simas Tales, e torcer pelo pequeno romance de Verne e Karolina.

Eai? Vai perder a chance de conhecer um pedaço da sobrevida?





Alfer Medeiros

Alexandre J. F. Medeiros secretamente mantém uma criação de lobisomens e, na série de livros Fúria Lupina, mostra ao mundo o resultado de tal empreitada sob o pseudônimo Alfer Medeiros. Também decidiu diversificar os negócios investindo em um estabelecimento incomum, chamado Livraria Limítrofe, onde a magia dos livros é parte integrante da sua inusitada rotina. Sempre que o tempo permite, se aventura em antologias de contos na companhia de outros irmãos de letras, para variar ainda mais sua escrita.


Fúria Lupina

Lobisomens. Montes deles.
Licantropos indiferentes a fatores tradicionais das lendas como lua cheia, prata, simpatias e crendices. Alguns agraciados com o dom da metamorfose por herança genética, outros atormentados pela maldição recebida involuntariamente.
As histórias da série Fúria Lupina acontecem em cenários reais e apresentam as características mais marcantes de dois mundos: ferocidade, organização social, instintos e sentidos apurados dos lobos; ganância, traição, violência e maldade dos seres humanos.
Caçadores, ecoterroristas, organizações secretas, chefões do submundo do crime. Sangue, vísceras, ação e horror. Entre na violenta realidade de Fúria Lupina!
Você está pronto para conhecer o maior predador do planeta?

Livraria Limítrofe

Um livro sobre outros livros.
Pense em todas as leituras que você aprecia. Agora imagine as possibilidades infinitesimais de combinar diversos cenários e personagens dessas obras literárias. Interessante, não? E se lhe fosse dada a possibilidade de interagir com tudo isso, tornar palpável a magia das obras literárias universais de forma intensa, maravilhosa, imprevisível?
É isso o que acontece na Livraria Limítrofe, um estabelecimento que materializa os gostos literários de seus clientes, permitindo-os fazer coisas como conversar com seus autores favoritos de séculos passados, embaralhar tramas ou mesmo tomar o lugar de personagens fictícios.
Conheça a história de pessoas contempladas com o privilégio de poder usufruir de todos esses recursos.
Boa viagem!