Trilha sonora da leitura

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Fúria Lupina - Alfer Medeiros

Me enjoa a sede de sangue humano que a minha forma de lobo traz.Me choca o prazer em devorar pessoas. Já matei quando na forma de animal, e isso pesa muito na minha consciência.Cada um dos quais arranquei violentamente a vida me perseguem em sonhos,nos quais não sei diferenciar o que é delírio e o que é realidade. A cada novo pesadelo (ou visão),estão mais rancorosos, como mortos-vivos em busca de vingança." - Página 94
Esqueça quase tudo que você aprendeu sobre lobos e aprenda de novo... Um caçador, dois lobos sofredores de formas diferentes.
Como você lhe daria com a maldição de a cada Lua cheia se tornar um ser que mata para viver? Como lhe daria com o fato de você caçar e ser caçado?
Desde seu nascimento trágico, por ser atacada, Caroline sabe que um dia será uma loba e que matará, mas até que ponto ela irá resistir?

Agora imagine saber que seu pai não lhe quer por pensar que você é um demônio? Imagine ter que viver com a sua madrinha e imagine agora que ela morre. É assim a vida de José Dante que foi criado por sua madrinha Janaína. Ele nunca foi preparado para ser um lobo, mas isso corria por suas veias.

E entre esses personagens complexos temos Joe Hell Vansing que depois de descobrir sobre os lobisomens parte em caça a eles por puro prazer e diversão.

O livro tem muita violência e sangue sim, alguns eu não gostei por ser passivista e afins, mas entendi o motivo.

"[...] Dante acaba de ter consciência de que, a partir desta visita a um cemitério onde estão enterrados dois estranhos, sua vida mudará para sempre. Ele já considerava sua mudança para Cuiabá um grande presente. Só não sabia que , no mesmo dia, tomaria conhecimento de uma dádiva maior ainda." - Página 76

Em meio a isso tudo só posso lhes dizer mais uma coisa... prestem atenção a alcateia global.
Já aviso que essa não é uma história da qual se sai sorrindo ou pensando do mesmo modo; ela vai afundo e aponta a crueldade humana. A crueldade humana que supera a Fúria Lupina.
Com capítulos curtos e envolventes, largar o livro é uma missão a parte.

" Somo criaturas especiais, mas não estamos à margem da imutável lei da natureza, a da impermanência. Tudo tem um começo, meio e fim. Estamos à mercê da mortalidade tanto quanto qualquer outro ser." - Página 215


Beijos.(:


2 comentários:

  1. Fúria Lupina é ótimo, um dos melhores livros brasileiros na minha opinião. Alfer conseguiu trazer para a atualidade o mito do lobisomem e unir as diferentes linhas que discutiam acerca de como alguem se transformava num desses seres... Recomendo muito

    http://bibliotecadoterror.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, mais um blogueiro que concorda comigo! Obrigada!

      Excluir

Obrigada pelo seu comentário! Volte sempre!