Trilha sonora da leitura

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

A seleção - Kiera Cass

"Mas,além das ameaças, eu sentia que só de pensar na Seleção já fazia meu coração doer. Não consegui esconder meu sorriso enquanto pensava em todas as razões para permanecer exatamente onde estava." - Página 9
 Em um novo mundo, por assim dizer, " futurista" America Singer é uma garota da casta de número 5, em uma sociedade onde os números representavam pessoas sendo o 8 o mais baixo e o 1 o mais elevado [ realeza]. 
Seu amor há dois anos é Aspen Liger, um garoto de casta 6, o que gera um grande problema, pois não é nem um pouco incentivado pelo governo o casamento entre uma moça de  uma casta superior ao moço.O sexo antes do casamento também é proibido por lei, assim como os métodos anticoncepcionais aos de casta inferior.
Quando a família Singer recebe uma carta dizendo que possuem uma filha entre dezesseis e vinte anos e que esta pode ser candidata a " Seleção", um programa que ocorre sempre que o herdeiro do torno é um homem, e para "apaziguar" o povo uma candidata é escolhida do mesmo.
Depois de muita luta America finalmente aceita se inscrever e por ter recebido uma notícia muito positiva durante a fila se sai bem na foto, pela qual é escolhida como uma das 35 garotas.
O príncipe Maxon por sua vez, é o verdadeiro príncipe dos contos da Disney com a pequena diferença de ser menos " bobo", porém só um pouco menos.

Vou apontar os pontos negativos primeiro, por isso:
O livro de uma forma fria trata de um tema superficial e comum, a personagem principal no começo me fez pensar " sim, essa será minha heroína", e então TARAM, lá está a clássica mocinha de romance com um pouco mais de sal.
America também não possui uma auto estima. 
Além do fato de que para uma era futurista ele é um tanto quanto atrasado, apesar de ser um país novo e contar com monarquia a tecnologia nele é miníma, o que não contribuí para o clima futurista que é tentando dar ao livro.
Não há um verdadeiro final no livro, e isso me fez ter vontade de o tacar longe, literalmente.
E isso fecha a parte ruim!
Esse post conta com apenas um parágrafo do livro, o que é extremamente raro, já que sempre coloco muitos, porém, isso é bom e vocês vão entender o porque.
O livro quando realmente analisado trás questões muito importantes, como o sistema de separação de castas usado na Índia até hoje. A mocinha também, no começo, vai contra todo um sistema tradicional e a história se torna extremamente envolvente.
Apesar do livro ser narrado em primeira pessoa, coisa que eu beiro odiar, eu adorei. Kiera Cass faz com que você se sinta como America, é impressionante! Todos os detalhes dados de forma sútil e todos os truques utilizados para apresentar todo o conteúdo necessário sem ser óbvio.
O livro é um dos melhores que já li sim, porém o final, junto com o futuro retrogrado, além da mocinha perfeita que vira comum contribuíram para ele ser apenas Bom/ Muito Bom.
De qualquer modo é um livro que eu recomendo.
Beijos.(:

Um comentário:

  1. gostei da resenha, mas não sei se me convenci de ler o livro rsrs
    bejo

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário! Volte sempre!